Pelo Mundo

Lua de Mel na Grécia

25 nov 2019 • por Natália Morelo • 0 Comentários

Atenas – parte 1/2

3 dias na Capital Grega

Primeiro capítulo deste que representa o melhor da vida (na minha humilde concepção, é claro): Viajar!
Descobrir novas culturas, desbravar ruas sem mapa, se comunicar com o mundo, sempre foi o meu sonho! E é uma dos motivos pelos quais eu sempre me lembro do porque meu trabalho é gratificante.

Você acredita em signos? Eu sou aquariana, e dizer que o aquariano tem como maior bem sua liberdade é redundância.
Mas isso não importa na realidade. Basta olhar pela janela pra termos uma pequena noção de como somos pequenos nesse mundão.

Mas vamos ao que interessa: deixei no meu Instagram recentemente (se não me segue, te convido @estiloaseualcance), uma lista de países que visitei e por qual deveria começar a falar por aqui. Grécia ganhou disparado!

E como é um dos lugares que eu mais amei no mundo, não achei ruim não! Quem é apaixonado por história vai entender. Conhecer um dos lugares que é considerado “o berço da civilização” é inspirador!
As paisagens mais lindas estão por lá, certamente. Vamos começar?

Visitamos a Grécia (eu e meu marido) na nossa lua de mel, em junho de 2017. Nosso vôo partiu de São Paulo – Guarulhos, e fizemos uma escala em Londres. Foram 11 horas de vôo até Londres, escala de 5 horas no aeroporto de Heathrow e um voo de aproximadamente 2 horas até Atenas.

Pelo que me recordo, não existe vôo direto partindo do Brasil. É cansativo mesmo, a menos que você fique menos tempo em conexão. Como não sabíamos como seria a imigração em Londres, aceitamos. Mas duas horas de conexão seriam mais que suficientes! Eles são muito ágeis.

Chegando no aeroporto Eleftherios Venizelos, fomos de táxi até o hotel (cerca de 20 a 30 minutos), e que fica a menos de 2 quadras da Acrópole. Escolhemos o hotel Parthenon Athenas, com a ajuda da Aline, uma amiga que possui uma agência de viagens e está há anos conosco nos ajudando a desbravar o mundo!

Escolhemos ficar 2 dias e meio em Atenas. Mais do que isso, realmente não é necessário (3 é o máximo). Atenas é uma cidade pequena.

1º dia: chegamos ao hotel no fim da tarde. Ficamos em Plaka, um dos bairros mais lindos que eu já vi! Cheiro de comida gostosa, flores e frutas coloridas pra todos os lados! Deixamos a mala no hotel, nos trocamos e fomos conhecer o bairro. Morando em São Paulo (você sabe como é), saímos do Brasil com um pré-conceito besta de que haveria algum tipo de violência pela cidade, talvez por conta da derrocada econômica do país. Ledo engano! Deixamos a máquina fotográfica no hotel e voltamos em menos de 1 hora pra buscar. A cidade é muito segura! Turista pra todos os lados, limpa e organizada!

Fomos à Acrópole dar uma espiadinha e logo escolhemos um restaurante aos pés dela pra fazermos nosso primeiro jantar casados 🖤


Escolhemos o restaurante de forma mais aleatória possível (bonitinho, cardápio na porta, vista boa), e sentamos.
Já sabia que não era muito caro pra comer pela Grécia, mas surpreendeu o fato de termos jantado (os dois, com entrada, prato principal e vinho), com menos de € 30 (euros).
Foi aí que eu me apaixonei pelo queijo feta! Como eu vivi 30 anos sem saber que esse negócio é tão bom?

Conhecemos o bairro a pé, tiramos fotos da Acrópole de todos os ângulos possíveis, sentamos na praça e voltamos para o hotel. Hora de descansar para o dia seguinte, porque enfrentamos cada viagem como uma maratona! Disponibilidade pra desbravar tudo desde cedo (pelo menos nos primeiros dias rsrs).

2º dia: Acordamos por volta das 9h e fomos primeiro ao Museu da Acrópole, que abriga muitas das descobertas arqueológicas feitas do século 19 pra cá. É um edifício muito moderno, com 3 andares e logo na entrada há um átrio aberto, de onde é possível caminhar por cima das escavações da cidade.

No térreo é onde ficam o teatro, café, local para guardar bagagens.

Ps: eu sei que não é o perfil de todos os turistas, mas se você tem a oportunidade de visitar um museu (sobretudo se ele tem grande valor histórico), vá! Chegar perto de obras de arte que apenas ouvimos falar ou lemos nos livros na escola, é quase que se transportar para aquele momento da história.

O Museu não é muito grande: térreo e mais 3 andares. Contudo, o que se vê ali é de um conteúdo espetacular. A visita começa pelo térreo (indico você pegar um mapa pra não perder nada do que é primordial ser visto por lá), e também que você se guie pelas setas coloridas indicadas no chão.
Tudo está dividido de forma cronológica, então você não irá perder nada!

Dentro do museu:

  • Galeria das Encostas está no Térreo, e faz uma referência à subida da Acrópole. O chão é de vidro, então é possivel andar em cima das escavações arqueológicas que ainda estão sendo feitas.
  • Galeria da Acrópole Arcaica é dedicada ao período arcaico (séc. 7 a.C. a 79 a.C.), e ele é dedicado a mostrar a transição da aristocracia para a democracia grega.
  • Galeria do Parthenon, na minha opnião, é a mais incrível. Pois ela foi construída reproduzindo exatamente as medidas do Pathernon. Então você vai andando e tendo uma dimensão do tamanho e como era tudo no passado. Grande parte dos mármores de desenho cravado estão por lá!

Depois de visitar a Galeria do Parthenon, volte ao 1º andar para ver os principais monumentos que formam a Acrópole Clássica:  Propylaia, o Templo de Atena Nike e o Erecteion (que era considerada a área mais sagrada da Acrópole), um edifício dedicado à deusa Atena e alguns outros deuses.
Ainda no 1º andar, está a galeria`Do século 5 a.C. ao século 5 d.C.`, onde constam inúmeras estátuas de heróis e deuses mitológicos.

Cerca de 2 horas dentro do Museu, é chegada a hora de atravessar a rua e conhecermos ao TÃO FOMOSO Pathernon!
Sim, ele é lindo! O edifício mais conhecido da Grécia, sem dúvidas.

Você paga cerca de € 30 cada ingresso, o que te dá o direito de visitar a Acrópole e outras atrações da cidade, como o Templo de Zeus, a Ágora Romana e o Museu Arqueológico.

Visitar o Pathernon é uma daquelas sensações inimagináveis que a vida nos proporciona. É praticamente se transportar para aquele momento da história! Imaginar como as pessoas viviam, quem encostou naquelas pedras…
Pra quem se perdeu neste momento da história: o Paternon foi um templo construído e dedicado à deusa Atena por Péricles e é um dos maiores monumentos culturais da humanidade. É símbolo da Grécia Antiga e representa a democracia.

Prepara o tênis, uma garrafinha de água e fôlego. É uma boa subida até o topo! Ele fica a cerca de 150 metros acima do nível do mar – é a cidade alta. Pegamos temperatura em torno dos 30ºC e foi ótimo!
Ficamos lá por cerca de 3 horas. Hoje, são só ruínas e uma boa parte o governo mantém a manutenção. Há a casa da deusa Nike, um anfiteatro gigante e muito pra caminhar! Certamente a paisagem lá do alto vai te render momento e fotos incríveis.

Finalizada a visita ao Pathernon, fomos de fato conhecer os arredores durante o dia, as praças que ficam aos pés da Acrópole são lindas. Conhecemos o bairro onde estávamos – Plaka – que é um dos mais antigos da cidade e tem muita vida!

Bares, restaurantes, músicas, lojas de souvenir e tudo mais que uma cidade turística pode oferecer.
Vale entrar em alguns empórios pra conhecer os óleos e azeites artesanais. Até trouxe um azeite pra casa. Divino mesmo!

Também não é possível chegar na Grécia e não experimentar o famoso churrasquinho grego. É umas das melhores coisas que experimentei nada vida. Na a ver com o que temos aqui no Brasil (o qual eu não tenho coragem de chegar perto).
Dica gastronômica: o Gyros (nome do churrasquinho por lá), é servido no pão pita (pão sírio naquela versão mais fofinha). Prefira a carne de porco, eles sempre recomendam a carne porco à de boi. Porque o pasto não é bom por lá… custa cerca de €4 a €5 e é como uma refeição! Vem lascas da carne de porco ou cordeiro desfiada, molho de iogurte e batata frita! Pra quem é fã de cerveja, experimente a cerveja deles: Mythos. Boa e barata!

Bem, aproveitamos a parada pro lanche de um dia intenso e paramos por aqui o primeiro dia, porque tem texto demais! Tem muito mais sobre Atenas e continuo no próximo post.

Estão gostando? Me contem! O que mais vocês gostam de ver? Quero saber!

Viajar: a melhor forma de ficar pobre, ficando rico!

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post